domingo, 20 de fevereiro de 2011

Tanto na terra, quanto no céu... | Fernanda Mello

Para quem vive com a cabeça nas estrelas, não há desafio maior que manter os pés no chão. É a eterna luta em saber conciliar nossos opostos. Equilibrar o concreto e o abstrato. Saber o que é sonho possível. E o que é puro devaneio. Difícil? Devo dizer que bastante.
Nessas horas, ganha mais quem é sensato. Quem pondera. Quem pesa os prós e contras. E – devo acrescentar – quem acredita em si mesmo.
Mas realidade sem sonho nem sempre tem graça. Não tem vida. Não tem cor. Concordam? O inverso também vale. Sonhos são melhores quando se tem uma certa realidade embutida. Aquela coisa de saber que é difícil, mas não impossível. É aí que mora o bom senso (primo-irmão do equilíbrio e autor de tantos feitos por aí).
Com sonhos a tiracolo e o bom senso nas mãos, mágicas – vira-e-mexe – acontecem. Palavras viram livros, rabiscos viram canções. Simples idéias se transformam em tudo o que a gente sempre quis. (Quer coisa melhor?). São nesses momentos que a vida se mostra cheia de luz. De graça. E de significado. Tudo passa a valer a pena, apesar de todos os tropeços do caminho...
Bom, por que entrei nesse assunto? Porque sou umas das pessoas mais sonhadoras que eu conheço. Talvez não tenha virado escritora por acaso, vai saber... Sonhos são molas que nos impulsionam. São minha inspiração e força. São a minha fé. Ao meu ver, quem não sonha (nem que seja um pouco, quando ninguém está olhando), nunca se sente vivo de verdade.
Mas como tudo tem dois lados, é bom ficar de olhos abertos. Ou melhor: com os pés fincados no chão. Viver só de sonhos não basta. Quem se alimenta apenas de ilusão, perde a realidade da vida e se esconde em um mundo paralelo. Complicado, não? Também acho. Haja discernimento para viajar, se aventurar nas estrelas e saber a hora certa de voltar!
Por isso (como boa canceriana que sou), continuo com a cabeça na lua. O pensamento nas nuvens. E, por via das dúvidas, me belisco sempre para aterrissar. Afinal, quem disse que não podemos trazer pra terra o que criamos em nosso céu?

















Fernanda Mello é escritora, compositora e redatora.
Esse texto foi retirado de seu blog, Coração na Boca.


(Postagem de Vinícius Dill S.)

12 comentários:

  1. Texto perfeito, tudo a ver comigo <3

    ResponderExcluir
  2. "Quem não sonha, nunca se sente vivo de verdade"

    ResponderExcluir
  3. eu sou uma sonhadora, vivo no mundo da lua, mas sei aterrissar na hora certa! :)

    ResponderExcluir
  4. Realidade sem soonho não tem a mínima graça, e sonhar sem viver a realidade é loucura.

    ResponderExcluir
  5. Sou um sonhador, mas tenho bom senso, sempre.

    ResponderExcluir
  6. 'Não vale a pena mergulhar nos sonhos e se esquecer de viver.' - Alvo Dumbledore

    ResponderExcluir
  7. Eu sonho muito, não há nada melhor que sonhar...

    ResponderExcluir
  8. devemos ser sim sonhadores, mas sabendo que precisamos da realidade para que eles possam se tornar realidade e não serem impossíveis de se alcançar. Belíssimo texto. Parabéns.

    ResponderExcluir
  9. Sonhar é uma coisa maravilhosa, felizes o que tem a capacidade de sonhar, melhor ainda é a realização desse sonho.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...